25 novembro 2013

Uma pergunta para a história

Porque é que, a 26,
os vencedores  do 25 de Novembro
falavam de  socialismo ?

vídeo aqui


Antes que a extrema-esquerda dos blogues me caia em cima, explico que este post não é nenhuma evocação de qualquer tipo da efeméride em causa (além do mais, essa noite de 25 para 26/11/1975, junta com a de 25 para 26/4/1974 e a de 27 para 28/9/1974, perfaz as três noites mais tensas e angustiadas da minha vida). Não, este post destina-se mesmo, e só, a fazer o gosto ao dedo com a pergunta que está no título e que há mais de 30 anos gostava de já ter feito em público. Na verdade. talvez muitos não o saibam mas esta afirmação, sem dúvida de importância histórica (mas feita também para defender o próprio «grupo dos nove»), é sem dúvida uma das afirmações públicas mais vezes emendadas por jornalistas, políticos e comentadores ao longo dos últimos 38 anos da seguinte forma: onde Melo Antunes disse «construção do socialismo», imensas vezes escreveram ou disseram «construção da democracia». Naturalmente que eu tenho resposta para a pergunta mas preferia que ela fosse dada designadamente por todos aqueles que estão sempre a esbracejar e indignar-se contra o facto de o preâmbulo da Constituição falar de socialismo.

8 comentários:

  1. Prefiro considerar-me um cidadão de ESQUERDA e não de extrema-esquerda, ou como eu prefiro ESQUERDA REVOLUCIONÀRIA, e por isso não deixo passar em claro esta sua invocação,

    Será que finalmente o PCP reconhece FINALMENTE , a negociação havida dias antes do 25 de Novembro entre Melo Antunes e Alvaro Cunhal?

    Será que indirectamente o PCP acaba por achar que o 25 de Novembro não foi assim tão mau, e assim justificar o apoio dado a Eanes nas suas candidaturas Presidenciais?

    Ou se calhar a derrota do COPCON , e das forças mais a ESQUERDA, representou para o PCP a vitória que há muito procurava?

    Afinal era Cunhal que já em 11 de Junho de 1974 em conversa telefónica com o sr Nash Scott Embaixador dos EUA, considerava, como INIMIGO FUNDAMENTAL a extrema-esquerda.....

    Talvez o Vitor Dias não querendo explique muita coisa....


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Augusto, eu já conheço de cor e salteado a sua ladainha e por isso fico-me apenas pelo seguinte:

      1. O meu post é sobre o que é e não sobre aquilo que você gostava que fosse ou deduz que é ;

      2. Tive muito gosto e honra em, na sua SEGUNDA candidatura, ter votado em Ramalho Eanes e quem preferisse que ganhasse SOARES CARNEIRO que assuma a escolha;

      3. Ao contrário de Otelo, nesse dia 25 de Novembro, eu não fui dormir para casa.

      Eliminar
    2. Um dia inquiri ao Vitor Dias porque não a formação de um blog que conglutinasse à esquerda as diversas vozes da blogosfera.
      Hoje sorrio perante tal ingenuidade.

      Augusto é a melhor prova dessa ingenuidade.Um pequeno provocador que continua a fazer o seu métier,replicando até o apressadamente aprendido pela historiadora/blogger de serviço.
      Uma tristeza pegada.E a debitar o mesmo debitado outrora, com o mesmo tom odiento mas com o imenso anátema de ter há muito desaparecido do combate.
      Porque o seu combate (dele Augusto) parece que é outro.E é repelente
      Assinado:De

      Eliminar
    3. Parece que um tal DE se incomoda com o que escrevo, e pretendia não sei que tipo de debate....

      Tenho idade suficiente, para ter vivido muito do que certamente o tal DE só conhece de ler na net.

      E seria melhor que desmentisse COM DADOS , as interrogações e as conversas com Melo Antunes e com o Embaixador dos EUA , esta em 1974.

      E dizer ao Vitor Dias que também não fui dormir no 25 de Novembro, e nessa noite perdi um camarada o Albertino Bagagem, e que por isso NUNCA votaria Eanes.

      Eliminar
    4. Infelizmente para Augusto a idade do Augusto não é nem documento nem argumento.
      O testemunho do Augusto quanto à sua presença nos acontecimentos da altura passarão pela idade do próprio Augusto.Mas o "certamente" do Augusto sobre o meu conhecimento dos factos apenas pelas leituras na net mostra a leviandade do Augusto mais as suas certezas.

      Os dados ( sem maiúsculas) solicitados por Augusto sobre as interrogações e as conversas com Melo Antunes estão travestidos. O que será antes de mais preciso é que Augusto documente a "negociação entre Melo Antunes e Cunhal".Quem fez a afirmação disparatada foi Augusto.Ele que a documente.

      Quanto às conversas com o embaixador americano em 1974 estas resumem-se a um contacto telefónico por iniciativa do embaixador dos EUA a Álvaro Cunhal. Mente Augusto quando diz que o líder do PCP disse em contacto telefónico ao embaixador americano que o inimigo principal era a extrema-esquerda.Scott dá a sua versão da primeira conferência do PCP aos seus chefes, em comentários classificados por alguns como "jocosos".É isto que é revelado pela Wikileaks.

      Não há qualquer tipo de debate om Augusto. Há apenas o desmontar das confabulações e do ódio que este personagem tem em relação ao PCP.
      Se o Scott o conhecesse na altura teria telefonado com muito mais proveito para o dito Augusto
      Assinado:De

      Eliminar
  2. Basta ler o seu segundo paragrafo, para ficar totalmente esclarecido.

    ResponderEliminar
  3. Admito que Melo Antunes acreditasse na sua via para o Socialismo. Mas nesses anos o socialismo", uma outra sociedade, era a aspiração de muitos e muitos portugueses. Aspiração tão forte e enraízada que tirando os partidos abertamente fascistas o "socialismo" era a meta.

    Claro que Mário Soares ganhas as eleições arrumou o "socialismo em Liberdade" numa gaveta tão bem aferrolhado que anos depois confessou que se não defendesse o "socialismo" não teria tido votos. E quem diz Mário Soares/PS , diz Sá Carneiro/PPD-PSD, que depois também diria - "corajosamente" - que votara a Constituição "coagido" pelo Pacto MFA/Partidos, que "subscrevera".

    Mário Soares/PS que tentou transferir a Assembleia Constituinte e o VI Governo Provisório para o Norte, onde campeavam as forças antidimocráticas, conscientes ou manipuladas.

    ResponderEliminar